Como em todos os anos, a WWE está prestes a receber um novo título: WWE 2K19 terá AJ Styles na capa, além de já ter confirmado que a ex-UFC “Rowdy” Ronda Rousey virá como conteúdo extra para quem comprar na pré-venda. O game chegará para o PS4, Xbox One e PC em 9 de outubro – mas e para o Switch, que chegou a receber versão do WWE 2K18?

Bem, o console da Nintendo não deverá mais receber nenhum WWE. Isto porque o port do 2K18, que chegou à plataforma japonesa no final de 2017, foi bombardeado por jogadores e veículos especializados – o IGN norte-americano chegou a classifica-lo como “injogável”, tamanha a quantidade de bugs e lentidão dos carregamentos.

Em comunicado, a 2K Games afirmou o seguinte:

“WWE 2K19 não chegará para o Switch. A 2K está focada em levar a melhor experiência para os fãs de WWE 2K, e também em avaliar todas as oportunidades de levar a franquia para outras plataformas.”

Assim sendo, temos então levantado um debate sobre até onde o Nintendo Switch pode ser equiparável aos concorrentes da Sony e Microsoft. Proprietários de um Switch encontram-se atualmente divididos: há quem queira ver ports como Dark Souls Remastered, Doom, Skyrim e outros mais no híbrido, bem como também há quem acredite que a aposta deve continuar a ser seu conteúdo único e original (Mario, Legend of Zelda, Super Smash Bros. e por aí vai).

Sabemos bem que a proposta do Switch não é competir em hardware com o PS4 e Xbox One, e sim de oferecer uma experiência diferente e mais inclusiva em termos de vídeo games. O que queremos saber é: vale a pena um título mais exigente em termos técnicos chegar ao console nintendista com “adaptações para adequar-se às limitações do sistema”?