Ainda estamos no quarto mês de 2019, mas nem bem o ano começou e já temos nossas decepções escolhidas a dedo pela equipe (e também pela opinião popular e veículos especializados, como o Metacritic).

Já adiantamos que este Top 3 é baseado em opinião e também em pesquisas que qualquer um pode realizar pela internet: embora talvez você seja apaixonado por algum (ou alguns) destes três títulos – e quanto a isto não temos nenhuma crítica, gosto é gosto e deve ser respeitado – não dá pra negar que vai ser muito difícil ver esses games disputando grandes premiações ao final de 2019.

Vamos, então, ao nosso ranking:

JUMP FORCE

Metascore: 56  /Nota dada pelos fãs: 4.4

Ter Goku enfrentando Naruto mano-a-mano pode até ser um sonho para a grande maioria dos fãs de animes, mas e quando o confronto é mostrado com animações desprovidas de qualquer emoção que mais parecem você brincando com bonequinhos dos personagens enquanto imita as vozes de cada um? É mais ou menos por aí que vai Jump Force, infelizmente.

Diante de tantos títulos de luta tão bons, Jump Force tem como principal atrativo a reunião de dezenas de personagens provenientes dos mais diferentes animes para um quebra pau. O problema é que, pra quem não é muito aficionado por animações japonesas, isso acaba sendo pouco. Nós também esperávamos mais capricho.

CRACKDOWN 3

Metascore: 60  /Nota dada pelos fãs: 4.3

Crackdown 3 ficou muito tempo em produção, e teve vários atrasos justificados sempre com a mesma desculpa pela Microsoft: “Queremos que o game seja espetacular”. Quando finalmente ele saiu e o jogamos, o que achamos?

Bem, a maioria achou que a ação protagonizada pelo Terry Crews virtual é muito divertida.... Mas daí a justificar todo o tempo de forno? Não parece a ninguém que o Triple A exclusivo para o Xbox One tenha alcançado o patamar desejado. Vale a jogatina sim, só não espere ver Crackdown 3 na briga pelo posto de “Game of the Year 2019”.

ANTHEM

Metascore: 55  /Nota dada pelos fãs: 3.6

Este talvez seja o mais polêmico do ranking, pois muita gente curtiu Anthem de verdade – mas é necessária uma análise sincera sobre o que este game prometeu e, de fato, nos entregou.

Fracassou completamente? Não, mas também não dá pra negar que Anthem não era exatamente tudo aquilo que pareceu ser desde seu primeiro anúncio, durante a E3 de 2017. O game ainda é bastante divertido – principalmente se jogado com os amigos – mas os NPCs de inteligência artificial deficiente, o fato do “grind” ser praticamente obrigatório (e não lá tão recompensador) e da história não ter atingido os padrões BioWare de qualidade (padrões Mass Effect e Dragon Age, por exemplo) fizeram de Anthem irremediavelmente uma grande decepção de 2019.