Sejamos francos: a Electronic Arts não está se dando muito bem com o uso da franquia Star Wars. A produtora assinou com a Disney em 2013 um contrato de 10 anos, durante os quais poderia explorar o universo cinematográfico criado por George Lucas na criação de games que deveriam ser incríveis... E até agora nos deu apenas dois Battlefront que foram mais criticados que elogiados.

Para Gary Witta, roteirista que trabalhou no filme Star Wars: Rogue One e também fã de games e da franquia, a EA Games está fazendo um péssimo trabalho até o momento. Para ele, não apenas ambos os Battlefront foram ruins, mas os recentes cancelamentos primeiro de um game de história linear que estava sendo roteirizado por Amy Hennig (da franquia Uncharted) e depois de outro em mundo aberto foram imperdoáveis.

Amy Hennig trabalhava em um game Star Wars que foi cancelado

"Um acordo foi assinado em 2013, de 10 anos. Estamos basicamente um pouco além da metade... Assim, vamos imaginar que eu sou Bob Iger, o responsável pela Disney, e ligo para a EA pra saber o que esses caras estão fazendo. Eles então respondem que lançaram dois jogos Battlefront, um deles sem sequer ter história, ambos medíocres, e o outro acabou por se tornar uma grande vergonha graças ao fiasco das micro-transações. Não apenas para a EA, mas também para a Disney e a marca Star Wars.

Tinham um game que era uma experiência Star Wars linear estilo Uncharted, e que estava sendo desenvolvido pela escritora de Uncharted e provavelmente a melhor designer de narrativa na indústria. Parecia fenomenal. E cancelaram. (...) Realocaram então toda a equipe para este novo, maior, mais ambicioso game em mundo aberto da EA Vancouver... E cancelaram também. E de resto.... nada. É isso que tivemos em cinco anos."