Muita gente – incluindo este redator que vos fala – acreditava que este projeto (PL 1577/2019) do deputado Júnior Bozzella (PSL-SP) de criminalizar nacionalmente os games violentos não iria para frente. Afinal, o povo praticamente já deu seu parecer com uma enquete apresentando nada menos que 99% de desaprovação à esta questão. Mas parece que os caras não vão desistir tão facilmente.

No final da semana passada, a Câmara dos Deputados conseguiu se esquivar desta desaprovação popular ao “embutir” a proposta de Bozella em outro projeto engavetado há 10 anos. A PL em questão é a 6042/2009, redigida pelo deputado Carlos Bezerra (MDB/MT), que busca tipificar crime de “difusão de violência” e tem como objetivo a imputação de crime às ações de "importar, fabricar, vender, expor à venda, transmitir, distribuir, publicar ou divulgar, por qualquer meio, jogos eletrônicos que induzam à prática de atos violentos ou ao cometimento de crime”.

Deputado Carlos Bezerra também quer acabar com a festa dos gamers

Bezerra defende sua proposta dizendo que “esses jogos eletrônicos invadiram a sociedade e estimulam toda sorte de perversidade". Também aproveitou para citar como exemplo o game RapeLay (já comentamos aqui sobre um parecido). E o deputado ainda prossegue:

"Não se trata aqui de censurar conteúdos eróticos. Trata-se de coibir a prática virtual de atos considerados criminosos pela legislação brasileira, uma vez essa prática virtual induz à prática das ações na vida real, onde 'aquilo que é horroroso se torna banal e até divertido'".

É valido lembrar que a PL de Bezerra, que partiu para enquete assim que foi desarquivada, também está sendo detonada pelo voto popular. Vale a pena ir até lá pra também deixar sua opinião a respeito. É, parece que vamos ter mesmo que ficar de olho nessa história...