A próxima geração dos consoles da Microsoft e da Sony já começa a despontar no horizonte, cada um prometendo ainda mais potência que os atuais Xbox One X e PS4 Pro. Mas será mesmo que a inovação tecnológica será realmente algo notável no Project Scarlett e Playstation 5?

Para Atsushi Inaba, diretor da Platinum Games, a resposta não é das mais positivas. Inaba acredita que, hoje em dia, os videogames utilizam muitos componentes vistos em PCs, o que acabou por “matar” aquele sentimento de algo único. Desde que isto virou a tendência, o cara acredita que, a cada novação, temos somente “mais do mesmo”.

“É bacana [Scarlett e PS5]. Quero dizer com isso que tenho a certeza que a velocidade nos movimentos será maior, os gráficos serão melhores e (...) teremos tempo de carregamento menor... Isto é bom para o consumidor. Muito francamente, comparado com as gerações anteriores, é mais do mesmo. Não há nada de diferente ou super inovador, eu acho. O hardware dos videogames baseava-se em chips personalizados que não poderia ver em um PC, mas agora estão simplesmente pegando coisas que já existem."

Atsushi Inaba acredita que o caminho mais próximo do que chamamos de “inovação” poderá ser o trilhado neste momento pela Google e seu Stadia, que implementará um serviço de games por streaming.

"É por isso que, para mim, coisas como plataformas na nuvem representam inovação e algo muito, muito diferente - são plataformas que me entusiasmam e onde sinto que está acontecendo algo muito mais inovador."

Inaba ao lado do mestre Kojima

Vale lembrar que Atsushi Inaba já produziu Bayonetta 2, Okami, God Hand (lembra desse no PS2?) e também de games das franquias Resident Evil, Metal Gear, Devil May Cry e Samurai Shodown. Seus primeiros trabalhos datam de 1992, ou seja, ele manja um bocado do assunto.

Agora, o que você acha disso? Está gostando do que até agora já foi dito sobre a próxima geração de consoles, ou está no time de Inaba e acha que o caminho para a evolução deveria ser outro?