Quem possuiu o primeiro Playstation no final dos anos 90 provavelmente conheceu Driver, game de perseguições automotivas onde o objetivo era guiar como o Fittipaldi e deixar a polícia comendo poeira. A premissa era bem simples: corra para sobreviver, evitando também os obstáculos e bloqueios que iam sendo postos em seu caminho pelos “tiras” para tentar parar de vez seu veículo (lembrava bastante o Need for Speed III: Hot Porsuit, também da época).

O sucesso de público e crítica foi estrondoso, e os estúdios da Reflections Interactive (hoje Ubisoft Reflections) não perderam tempo: a continuação, Driver 2, chegou já no ano seguinte. Este, no entanto, simplesmente apostava no manjado “mais do mesmo” e, embora tenha ainda sido considerado ótimo, causou bem menos impacto.

Então chegou a era do Playstation 2 e do primeiro Xbox, e com ela a Reflections acreditou que era hora de dar o próximo passo para a “evolução” da franquia. Era, na verdade, o início do fim.

Crédito do vídeo: canal World of Longplays

Driv3er (ou simplesmente Driver 3) chegou ao PS2, Xbox e PC em 2004, agora trazendo uma nova premissa: chega de simplesmente controlar um carro, já que o seu personagem podia seguir também a pé no maior estilo Grand Theft Auto! A princípio, a ideia era ótima e o público de certo adoraria a novidade.... Porém, não demorou muito para as coisas emborcarem ladeira abaixo.

Muitos consideraram que Driv3er tinha gráficos até mesmo inferiores aos antecessores lançados para a geração 32 bits. Os controles e a ação do game com o personagem fora do veículo também foram apontados como “confusos, travados e desengonçados”. Embora a versão para PC tenha recebido alguns elogios por parte da crítica, o game em si vendeu extremamente mal em todas as plataformas nas quais chegou. No final, os mais de 34 milhões de dólares gastos em sua produção e marketing quase não chegaram a retornar nem mesmo metade do investimento.

Crédito do vídeo: canal polkadel

Hoje, a franquia é relembrada pelos jogadores mais nostálgicos em conversas casuais sobre grandes games do primeiro Playstation, mas não deixa de ser uma pena este trágico destino que teve Driver – se as coisas tivessem sido diferentes, quem sabe atualmente não tivéssemos uma disputa entre esta franquia e GTA...

Ah, o caminho não trilhado... E você, sente falta de pilotar os veículos de fuga de Driver?