Considerado pela grande maioria dos jogadores ao redor do mundo como a decepção do ano de 2018, Fallout 76 já foi muito comentado aqui no Trocajogo - a grande maioria das vezes, por maus motivos. Tá certo que a Bethesda já fez bastante e continua fazendo para tentar consertar o game, porém a fama deste multiplayer nas Wastelands não melhorou lá muita coisa ao longo de 2019.

Mas agora, já no finalzinho deste ano, a tia Beth nos preparou uma surpresa um tanto quanto absurda: Fallout 76 recebeu um sistema de assinatura premium, que custa aos interessados a bagatela de R$39,90 mensais ou R$306,90 anuais (no PS4, já no PC o valor é ainda maior como você verá mais abaixo). E antes que você pergunte: o game NÃO se tornou um free to play - você ainda terá que comprá-lo normalmente, e pagar este “a mais” para receber alguns extras.

“Pera (sic), calma, deixa eu entender: eu pago R$155 no jogo (valor atual no site da Bethesda) daí eu tenho que pagar mais 54 por mês (valor também no site da Bethesda) ou 415 por ano pra ter algo que já era pra ter dentro do jogo? Acho que buguei mais que Fallout 76.”

O comentário acima (que se refere aos valores do PC) é apenas um dos muitos encontrados pela internet, feitos por jogadores que acreditam que o serviço - batizado pelo estúdio de “Fallout 1st” - mais parece piada. 

Listaremos agora o que a brincadeira oferece: uma tenda de acampamento (para onde podemos dar “fast travel” no mapa), um contêiner com espaço ilimitado para materiais de criação, 1.650 atoms mensais de mesada, uma nova armadura, um pacote com ícones e emotes cosméticos... Ah, e também o direito a acessar mundos particulares, onde somente seus convidados poderão entrar e jogar (até 7 amigos, os quais não precisam ser assinantes). Parando pra pensar, este último “mimo” talvez seja a única coisa que realmente valha a pena.

Como já exemplificado neste artigo, a recepção à esta “novidade” pela comunidade não foi das melhores: a Bethesda parece simplesmente ter tentado apagar o fogo com um balde de gasolina. As comparações não param de surgir, com muitos apontando que estes 40 mangos ultrapassam serviços muito mais expressivos, como o Xbox Game Pass por exemplo.

A impressão que temos é de que a Bethesda parece simplesmente não entender que Fallout 76 não está “com essa moral toda” pra cobrar um extra em assinatura premium. E você, o que acha desta história?