Em desenvolvimento já há alguns anos, o game Escape From Tarkov para o PC recentemente passou a ser bastante jogado por streamers no Twitch, o que fez este interessante título estilo FPS com elementos de RPG do estúdio russo Battlestate Games ganhar bastante popularidade. Se isso é bom por um lado, não é nem tanto assim por outro…

Em 2016, ano em que Escape From Tarkov recebeu seu primeiro beta fechado, um dos membros da equipe de produção - um sujeito chamado Pavel Dyatlov - concedeu uma entrevista que agora está reverberando bastante. O motivo? As respostas do cara à seguinte pergunta do entrevistador: “Vocês estão considerando incluir mulheres no game?”

Mesmo com a Rússia tendo um notável histórico de mulheres em sua própria história de conflitos armados, o tal Dyatlov mostrou-se bastante contrário a ideia de permitir que os jogadores pudessem trocar tiros em Escape From Tarkov enquanto na pele de uma mulher: 

“Chegamos a conclusão de mulheres não são permitidas na guerra.”

Quando pressionado pelo entrevistador a respeito da presença de mulheres nas forças militares de diversos países já por muitos anos, Pavel Dyatlov completou:

“Posso até concordar com você, e discutimos isto por muito tempo. Mas chegamos a conclusão de que mulheres não aguentam aquela carga de estresse. Há somente lugar para homens durões em um ambiente assim.” 

Diante da crescente popularidade de Escape From Tarkov no Twitch e de como esta entrevista desenterrada está lhes causando dores de cabeça, o pessoal da Battlestate resolveu se pronunciar e jogar panos quentes sobre a polêmica barulhenta:

“A respeito do velho artigo de 3 anos atrás abordando pontos sobre mulheres em Escape From Tarkov, aquelas respostas foram dadas por apenas um empregado não-vital da Battlestate Games que provavelmente foi mal interpretado e, como resultado, estas não refletem a posição oficial da empresa, que sempre respeitou a participação de mulheres em guerras e nas forças militares. [Dyatlov] recebeu uma reprimenda e foi instruído de acordo. Pedimos desculpas pela confusão.”

A nota foi publicada via Twitter do estúdio, e por lá também deixaram claro qual seria o motivo de não incluírem mulheres no game: simplesmente daria muito trabalho criarem estes modelos femininos e os adaptar aos equipamentos, animações etc.

O assunto de mulheres nas forças militares já rendeu barulho também em Battlefield V, lembra-se? E você, o que acha desta discussão?