Silent Hills, como todos já estamos carecas de saber, foi cancelado pela Konami. Após isso, a franquia de terror que é uma das mais prestigiadas de todos os tempos foi colocada na geladeira por tempo indefinido e nenhuma novidade sobre Silent Hill surgiu desde então.

Pelo menos até agora, época em que a Konami anunciou, vindo diretamente de sua divisão de “gambling” (“apostas”), duas novas máquinas caça-níqueis em homenagem a franquia: Silent Hill Return, baseada em Silent Hill 3, e Silent Hill Escape, baseada em Silent Hill Downpour, trarão uma “experiência excitante com cenas, sons e personagens tirados do conhecido legado de entretenimento da Konami” - é o que disse a própria para descrever suas novas “slot-machines”. 

E o que exatamente isto nos diz sobre o hiato de games do qual sofre Silent Hill neste momento?

Bem, nada de bom. Tudo bem, sabemos que estes caça-níqueis vieram de uma divisão da Konami de fato especializada no desenvolvimento deste tipo de jogo, e não que a Konami necessariamente trocou uma continuação nos games por isto. O problema é que a empresa não parece ter equipe alguma trabalhando minimamente em algo novo para a franquia, e ao verem anúncios como este, os fãs só vão ficando mais e mais revoltados com a Konami.

Por todos os sites onde este “lançamento” do estúdio japonês foi noticiado, incontáveis jogadores comentaram seu ódio crescente contra a Konami. Quando ainda aparece um para tentar diminuir o impacto destes caça-níqueis, imediatamente surge outro para apontar que “esta empresa não merece sua lealdade”. E será que isto é mentira?

A verdade é que a Konami parece estar com “medo” ou no mínimo receio de abordar uma continuação para Silent Hill após o cancelamento do projeto P.T. e a saída de Hideo Kojima - algo que a levou ao lançamento do fracassado Metal Gear Survive. Dizem por aí que o “Efeito Kojima” teria deixado ambas, Silent Hill e Metal Gear, em um forçado estado de perigo: trazer um novo título para alguma destas franquias após a polêmica com Kojima parece estar sendo tratado pelo estúdio como algo “arriscado demais”.

Para ajudar a piorar as coisas, tivemos ainda o muito mal recebido retorno do clássico Contra. Diante disso tudo, a Konami simplesmente parece perdida no meio dos videogames… Agora como será que ela poderá dar a volta por cima, dissolvendo o ódio que seus outrora fiéis fãs criaram em torno dela, retornando às suas franquias de peso negligenciadas (e some também Castlevania à esta conta) com boas continuações? Ao que parece, estão mesmo querendo seguir com o anunciado tempos atrás e permanecerem longe dos triple A...