Tablets. Simples assim.

O chefe do desenvolvimento de games da Nintendo e pai de Mario e Link Shigeru Miyamoto acredita fielmente que foram os tablets que basicamente minaram o potencial de vandas do Wii U, e por este e outros motivos, o console jamais decolou como o predecessor Wii.

"Infelizmente o fato é que os tablets surgiram no mercado e evoluíram realmente rápido. No momento que o Wii U foi lançado, nossas funcionalidades provavelmente já não eram tão fortes como quando começamos a desenvolvê-las" – disse ele em entrevista ao site NPR.

Legend of Zelda para o Wii U, como bem sabemos, nem sonhou em aparecer na E3 deste ano

O preço também não ajudou, segundo Miyamoto.

"Infelizmente o preço do Wii U acabou um pouco acima do que queríamos” – lamentou este mito para a história dos videogames sobre o fato de que, em seu lançamento nos EUA, o Wii U saiu custando de 300 a 350 dólares. Shigeru Miyamoto fez ainda questão de enfatizar uma vez mais que o objetivo da Nintendo era o de se esquivar da briga para ver quem criava o console mais poderoso e, ao invés disso, tentar promover uma experiência de jogo descomplicada, com interface amistosa a qualquer tipo de player.

A verdade é que desde o seu lançamento norte-americano em 2012, o Wii U não passou ainda de 9,54 milhões de aparelhos vendidos. Porém Miyamoto acredita que muito foi aprendido com este último console, e está muito esperançoso com o novo NX – que, como já sabemos, apareceu tanto na E3 2015 quanto novos títulos para o Wii U.

...Ou seja: ficamos a ver navios.