Comprar games piratas sempre foi considerado uma opção pelo gamer brasileiro sob o pretexto dos altíssimos preços dos originais por aqui. Nos tempos de PSone e PS2 por exemplo, as promoções de “Leve 15, Pague 5” eram das mais comuns possíveis.

Quem valoriza o produto original sempre perguntou-se o que poderia ser feito para que a pirataria (que não ajuda e sim prejudica o mercado) fosse extinta, algo que muitos consideram simplesmente impossível... Mas que, segundo o maior grupo do mundo especializado em destravar games originais, pode estar próximo da realidade.

Sonic no Super Nintendo foi um dos piratões mais célebres (e toscos) da história

Segundo os chineses do 3DM, os dispositivos anti-pirataria implementados nas mídias originais estão cada vez mais difíceis de serem burlados. Como exemplo, eles citaram o game Just Cause 3 – já temos bastante tempo desde seu lançamento e o grupo ainda não foi capaz de decodificar seus segredos para que o game pudesse cair pelos Torrents da vida. Segundo a líder do 3DM, se as coisas continuarem como estão, em mais dois anos poderá ser inviável continuar a desbloquear games.

Porém nem tudo é céu azul para este horizonte: a austríaca Denuvo, principal empresa responsável por desenvolver as travas de segurança dos games, já afirmou que nenhum sistema é à prova de falhas – nem o deles. Em nota disseram que “Nosso trabalho é o de aprender com os piratas e fortalecer as brechas pelas quais quebraram nosso código, para que isto simplesmente seja mais difícil de ser feito da próxima vez”.

Para você: poderíamos ter um futuro sem pirataria nos games?