Se você fosse o criador do mundo de Geralt da Rivia, seria de se esperar que você fosse um milionário, certo? Claro, já que os games de The Witcher venderam tão bem pelo mundo afora, a fama e a fortuna devem ser constantes na vida de tal autor.

Mas não é exatamente o que ocorre com Andrzej Sapkowski, polonês criador do universo literário de The Witcher no qual a CD Projekt se embasou para trazer a nós os games que tanto amamos. Sapkowski teria cedido os direitos sobre a franquia de videogames, então a única forma deste se beneficiar com o sucesso dos jogos é quando os jogadores se interessam por suas obras após conhecerem Geralt e sua turma no mundo digital.

Porém Sapkowski não é grato à CD Projekt de forma alguma: na verdade, ele os chama de mentirosos, dizendo que sua série de livros já era famosa pelo mundo antes dos games. Inclusive, para ele, os games só atingiram grande sucesso graças aos seus livros.

Ainda segundo Andrzej Sapkowski, outro grande problema são os fãs acreditarem que o que ele escreve são na verdade adaptações dos games de The Witcher, e não o contrário. Para o escritor, isto também é culpa da CD Projekt, que não faria muita questão em divulgar as origens da história de Geralt.

Se para ele o negócio é reclamar bastante, para outro autor literário que viu sua obra transformada em games o pensamento é exatamente o oposto: Dmitry Glukhovsky, autor da série de livros Metro transportada aos videogames pela 4A Games, acredita que os jogos digitais foram maravilhosos para divulgarem seu trabalho.

Sobre Sapkowski, Glukhovsky tem algumas palavrinhas não muito educadas: “É um filho da puta arrogante que está totalmente errado”.